Nenhum comentário ainda

Arrebatamento: Antes ou Depois da Tribulação?

O Arrebatamento da igreja compreende todos os crentes sendo levados para o céu – os ressuscitados junto com os que estiverem vivos naquela hora (2 Tessalonicenses 4:13-15). Se ele acontecer no período inicial da tribulação, então é claro que a Segunda Vinda de Cristo, no final da mesma, a fim de resgatar Israel na metade do Armagedom, será um evento separado. Conforme Zacarias 14:3-5, todos os santos deverão acompanhar Cristo em seu regresso à terra.

         Mas se o Arrebatamento acontecer no final da Tribulação, ele será simultâneo à Segunda Vinda de Cristo, tornando-se ambos um evento único. Então, como acontecerá? Dois eventos separados ou um evento apenas, com propósitos diferentes?

Essa pergunta, mesmo nada tendo a ver com o Evangelho da Salvação, tem dividido a igreja evangélica. Felizmente, ela pode ser facilmente respondida. Na Escritura as descrições do Arrebatamento e da Segunda Vinda são tão diferentes em tantos detalhes que, possivelmente, jamais poderiam estar descrevendo a mesma ocorrência. Não podemos abordar todas essas distinções, mas aqui estão algumas:

1. – No Arrebatamento Cristo não volta à terra, mas leva os crentes a encontrá-Lo acima da terra, levando-os diretamente para o céu, segundo João 14:3 e 1 Tessalonicenses 4:17: E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”… “Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor”.

Em contraste, na Segunda Vinda, Cristo retorna a esta terra para governar Israel e o mundo inteiro a partir do Trono de Davi, em Jerusalém, conforme Zacarias 14:4: “E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade dele para o sul”.

         Lucas 1:32,33: “Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim”.

Apocalipse 19:11,15: E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça… E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso”.

2. No Arrebatamento há uma ressurreição de todos  os crentes que tiverem morrido até aquele momento, conforme a 1 Coríntios 15:52-53: “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade”.

1 Tessalonicenses 4:16: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro”.

Em contraste, na Segunda Vinda não haverá ressurreição, até que o Anticristo seja derrotado e ele e o falso profeta tenham sido lançados no lago de fogo, conforme Apocalipse 19:20: “E a besta foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela fizera os sinais, com que enganou os que receberam o sinal da besta, e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre”. E Satanás tenha sido encerrado no abismo durante mil anos (Apocalipse 20:1-3: “E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.”  Nenhum destes é remotamente relatado no Arrebatamento dos crentes para o céu. Então, na “primeira ressurreição”, que vai acontecer no Arrebatamento, é anunciado um só grupo, segundo Apocalipse 4 e 5.

3. – No Arrebatamento os corpos dos crentes vivos (como os corpos dos que são ressuscitados) serão transformados em corpos imortais, segundo a 1 Coríntios 15:51:52: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.  E a 1 Tessalonicenses 4:17: “Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.”

Em contraste, na Segunda Vinda de Cristo todos os santos voltarão do céu com Ele, e, portanto, já terão sido transformados em imortais, segundo Zacarias 14:5 e Apocalipse 19:11-15: “… Então virá o SENHOR meu Deus, e todos os santos contigo.”  “E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça. E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. E estava vestido de uma veste salpicada de sangue; e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus. E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso.”

4. – O Arrebatamento vai acontecer durante o período de relativa paz e prosperidade, quando o mundo não estiver mais esperando o julgamento divino, segundo Lucas 17:26-30: “E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem. Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos. Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar”.

Novamente, em total contraste, a Segunda Vinda acontecerá em meio à pior guerra que o mundo terá visto, com a maior devastação que este planeta irá enfrentar, conforme Mateus 24:21-22: “Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias”. E Apocalipse 6:8-17: “E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra. E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram. E, havendo aberto o sexto selo, olhei, e eis que houve um grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua tornou-se como sangue; E as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, abalada por um vento forte.

E o céu retirou-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares. E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas; E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro”. E Apocalipse 9:15: “E foram soltos os quatro anjos, que estavam preparados para a hora, e dia, e mês, e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens”.  E Apocalipse 16:3-21 e 19:11-21 (Leiam).

5. – O Arrebatamento  acontecerá quando as condições do mundo indicarem que tudo vai bem, quando muito poucos estarão aguardando a volta de Cristo. Ele vai apanhar até mesmo a igreja de surpresa, conforme Mateus 24:36 e 44: “Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas. Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis”.

Em contraste, quando acontecer a Segunda Vinda de Cristo, nem mesmo o Anticristo será apanhado de surpresa. Os muitos sinais visíveis avisarão todo mundo que Cristo está às portas, conforme Apocalipse 19:19: “E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo, e ao seu exército”.

6. – O Arrebatamento vai acontecer quando a igreja estiver dormindo, com pouca expectação da volta do Senhor, conforme Marcos 13:35-36: “Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã, para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo”.

Em contraste, a Segunda Vinda acontecerá no final da Tribulação, em meio à devastação e ao sofrimento, quando o Anticristo estiver atacando Israel e quase aniquilando-º Seria inconcebível que a igreja, caso ainda aqui se encontrasse, pudesse estar dormindo em complacência e engano, achando que certamente Cristo não ira voltar logo.

7. – Visto como o Arrebatamento nos levará instantaneamente, sem passarmos pela morte, para longe deste mundo de pecado e sofrimento, para estarmos com Cristo para sempre, e sermos iguais a Ele, sem jamais voltarmos a entristecê-Lo, ele é chamado “bendita esperança”, conforme Tito 2:13 e 1 João 3:3: “Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo”. “E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro.”

Em contraste, a Segunda Vinda (ou o Arrebatamento depois da Tribulação) jamais poderia ser chamada de “bendita esperança”, visto como muito poucos cristãos (caso a igreja ainda aqui se encontrasse), iriam sobreviver para gozá-la. Tendo recusado receber a marca da besta (666), na mão direita ou na testa, portanto ficando impossibilitados de comprar ou vender, recusando-se também a adorar a besta (eles seriam) mortos, conforme Apocalipse 13:125-17: “E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta. E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.”

         Não faz sentido sugerir que alguém pudesse comer às escondidas restos de comida, sem encarar os policiais do esquadrão do Anticristo, e ainda pensar na ”bendita esperança” de serem arrebatados no Armagedom.

8. – Quanto ao Arrebatamento, inquestionavelmente a igreja primitiva foi instruída a esperá-lo a qualquer momento e a observar e vigiar a volta de Cristo, quando Ele quisesse apanhar todos os crentes e levá-los á Casa do Pai, segundo Lucas 12:35-36: “Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possam abrir-lhe”.  E 1 Tessalonicenses 1:9-10“Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro, e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura”. Filipenses 3:20: “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo” e Hebreus 9:28: “Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”.

Em contraste, a Segunda Vinda, pela exata definição da Escritura, não pode ser esperada momentaneamente. Então, nenhuma das Escrituras acima citadas referindo-se a observar, aguardar e vigiar poderia referir-se à Segunda Vinda. Nesse caso, as Escrituras só podem estar se referindo ao Arrebatamento antes da Tribulação.

9. – O Arrebatamento antes da Tribulação tem um poderoso e purificador efeito sobre os que têm esperança Nele. O fato de que deve ser esperado a qualquer momento só pode significar que ele deve acontecer antes do Anticristo ser revelado, ou seja, antes da Tribulação. Se Cristo pode vir a qualquer momento, isso não nos deixa tempo a perder, nem tempo para atrasarmos o testemunho, nem tempo para darmos vez ao pecado, pensando em nos arrependermos e mudarmos de vida, de qualquer maneira, mais tarde, segundo 1 João 2:28 e 3:3: “E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda… E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro”.

Em contraste, a antecipação da Segunda Vinda (ou Arrebatamento após a Tribulação) dificilmente poderia ter um efeito purificador, visto como ele não poderia acontecer durante pelo menos sete anos, tempo bastante para atrasarmos o testemunho, reconciliando-nos com Cristo para em seguida vivermos uma vida santa.

De fato, o Senhor disse que não se crendo em Sua vinda a qualquer momento, o efeito seria o oposto nos crentes, conforme Mateus 24:48 e Lucas 12:45-46: “Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá… Mas, se aquele servo disser em seu coração: O meu senhor tarda em vir; e começar a espancar os criados e criadas, e a comer, e a beber, e a embriagar-se, virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera, e numa hora que ele não sabe, e separá-lo-á, e lhe dará a sua parte com os infiéis”.

10. – O Arrebatamento é não apenas um evento esperado a qualquer momento e a ser ansiosamente antecipado, como devemos pedir ao Senhor que Ele venha sem demora. Vejamos como termina a Bíblia em Apocalipse 22:17,20: “E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida… Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus.”

Em contraste, a Segunda Vinda não é de natureza e hora tais que pudéssemos pedir a Cristo que a efetuasse sem demora. Visto como Cristo não pode voltar á terra em julgamento para resgatar Israel, deter a destruição e destruir o Anticristo, seu reino e seus exércitos, até o final da Tribulação. Pois clamarmos a Cristo “Vem, Senhor Jesus!” seria como exigir o pagamento de um débito devido pelos sete anos. Contudo, o Espírito e a noiva dizem: “Vem, Senhor Jesus!”, só podemos crer que deve haver uma vinda de Cristo, a qual  deve acontecer a qualquer momento. Não pode ser a Segunda Vinda nem o Arrebatamento após a Tribulação, mas o Arrebatamento antes da Tribulação.

11. – Existem pelo menos dois eventos que devem acontecer no céu, aos quais a igreja estará presente e os quais, por conseguinte, não poderão acontecer sem que haja o Arrebatamento: o julgamento no Tribunal de Cristo e a Ceia das Bodas do Cordeiro com a sua noiva, a igreja, conforme a 2 Coríntios 5:10 e Romanos 14:10: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal… Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo.” Também Apocalipse 19:7-8: “Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos”.  Ambos os eventos acontecerão antes da volta de Cristo à terra e, desse modo, exigem um arrebatamento antecipado.

Claro que a Segunda Vinda não pode acontecer antes desses dois acontecimentos vitais, os quais exigem a presença da igreja no céu, para ali acontecerem. Somente haverá essa vinda, após as bodas do Cordeiro com a sua noiva, a qual o acompanhará de volta à terra para resgatar Israel e destruir o Anticristo e seus exércitos, conforme Apocalipse 19:14: “E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro”.

Não sabemos dizer a razão pela qual o noivo tarda, mas exatamente, conforme Ele disse, a igreja estará adormecida. Nesse contexto, nosso Senhor acrescenta em Mateus 25:6: “Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro”.

Possa cada um de nós estar escutando ansiosamente esse clamor do Espírito Santo e de nossos corações. De fato, deveríamos estar clamando em alta voz, pois o Senhor virá a qualquer momento para nos levar até Ele. Então, vamos vigiar e aguardar, com ansiosa antecipação, encorajando os outros a fazerem o mesmo. Isso terá um efeito purificador e motivador em nossas vidas.

“The Berean Call Letter” – Outubro 2003 – Dave Hunt 

encorajando os outros a fazerem o mesmo. Isso terá um efeito purificador e motivador em nossas vidas.

Fonte: http://solascriptura-tt.org/

Postar um comentário